Venha você também compor comigo o Círculo de mulheres “SER DIVINA”, num momento único de união das potencialidades: de força, intuição e sabedoria de cada uma. Todas na mesma hierarquia de união e irmandade.
Durante o círculo utilizaremos de elementos tais como:
A consciência de criação, fecundação, realização. O religar espiritual, reconhecer os arquétipos femininos e dévicos através de rituais. Trocar energias, cantar mantras, reconectar a força ancestral da sabedoria e da prosperidade da fonte dévica indiana e deixar fluir a força natural.
Qual mulher deverá está no círculo?
Certamente você que lê agora, e todas as mulheres que acreditam que ao estar num círculo de mulheres sagradas, estará desabrochando sua Deusa na prática e portanto, fazendo a diferença para si e para o universo.
Todas as mulheres são convidadas sem distinção de raça ou credo.
A mulher mãe, a mulher terapeuta, a mulher moça, a mulher avó, a mulher solteira, a mulher menina, as condutoras de outros caminhos do sagrado.
Resiliência, irmandade, comunhão, igualdade.
Venha de saia, traga seus instrumentos caso os tenha, como também flores, incenso e  frutas.
Traga suas amigas, irmãs e mães.

A partir deste momento os círculos estão abertos para acontecer onde houver um chamado, estarei lá, ajude a divulgar e levar essa ideia para espaços que ainda não tenham círculos de mulheres e que tanto é necessário para o equilíbrio dos ambientes de cura.

Agora também temos um ambiente lindo num local semi rural em Ferraz de vaconcelos onde ocorrerá todos os trabalho voltado para o resgate, cura e empoderamento do sagrado feminino.
A Comuna Durga passa ser o meu canto sagrado que dividirei com muita honra com todas as mulheres que desejam se encontrar e se resgatar.
Dentro do meu cajado de anciã, estou pronta e a espera de você, que está pronta para baixar a toalha e aprender a ser sacerdotisa, ser anciã e ou simplesmente vivenciar a cura atraves do fluxo do religar do sagrado feminino.

 

Estar em círculo sagrado feminino, significa retratar o momento da ancestralidade matriarcal do feminino, onde as mulheres nas fases das luas principais, respectivamente na lua nova e na cheia, para utilizar-se, da força deste momento da lua se permintindo alçar a sabedoria como era no passado de boca a boca e de ouvido a ouvido, os ensinamentos canalizados pela a grande anciã na lua nova e pela a grande sacerdotisa na lua cheia, faz esse momento muito especial, e assim  reverenciarmos e  saldarmos a fontes dévicas.
Portanto, quando estamos em círculo, naturalmente resgatamos esta egrégora do início dos tempos e dentro da civilização que a força do matriarcado era primordial e nos tornamos irmãs por estarmos regidas pela a força das grande mães, nos arquétipo de Saraswati – sabedoria, Durga – Prosperidade, Parvati – amorosidade.
Muito, muito antes do ego crescer na energia dos homens, após descobrirem, segundo a lenda dravidiana, a sua capacidade de fazer uma mulher gestar e não mais a lua, como até aquele momento se acreditava. Essa decoberta fez crescer o ego e o domínio masculino, e então, passa a existir, e aí as mulheres na sequência dos anos, no passar dos milênios fora enfraquecendo e tomando forma o mundo patriarcal. Tornando as mulheres submissas às dores e proibições, assim como tolhimentos.
Ainda assim surgem clãs que reverenciam o sagrado, mas já feridas e submissas e ai passa-se a ter um legado de dores e lamurias.
Um círculo enfatizado na força divina indiana primordial, ou seja, no princípio da egregóra dravidiana, poderemos assentar esta energia de sabedoria e resgatar para este nosso momento atual.
Um círculo representa tanto para o homem como para a mulher, religar o seu saber interno e o seu fluxo intuitivo, de cura e de percepção, e é a esta energia  que se pode chamar de sagrado feminino.
A fonte de inspiração-ideia=ação, normalmente é um grande desafio saber exatamente, o momento e o ponto exato, de estar ciente da natureza de ação, e em que condições o processo do sentir e do saber para usar com equilíbrio esta fonte criativa para gerir as experiências, produzindo resultados positivos no que se deseja realizar.

Eu Celi coutinho, me sinto num momento muito especial, por isso estou aqui trazendo mudanças para este momento.

Deixo livre para que os círculos de mulheres e de homens possam acontecer em vários lugares dentro do estado de São Paulo.
Se você acredita que no seu espaço deve acontecer um grupo de círculos sagrados femininos e masculinos. Estou a sua disposição. Fale comigo, monte um grupo que estarei aí, com você levando essa energia ancestral matriarcal do sagrado feminino.

Informe seu interesse mandando seu nome, email e telefone abaixo.

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: