Terapia ancestral

 

A terapia vibracional ancestral.

Leva esse nome devido os elementos utilizados nela que são de padrões que fazem mudar o aspecto vibracional abrindo espaço para entrar a fonte da real essência do ser humano.
O método tem o foco no saber do sagrado feminino e direcionados para a sua integralização, ou seja à sua verdade.
As terapias também estão formatadas para dar apoio às mulheres que vem aprender a conduzir o sagrado feminino e precisam estar inteiras para isso.
Impossivel lidar com grupos sem se afetar se não estiver inteiro e em equilíbrio.
Para isso você tem ai a opção da terapia ao feminino desperto é um método vivencial, com foco, de eliminar as dores da energia da mãe de hoje ou da mãe ancestral em sua vida, da avó, da tia e desses milhares de anos de dores.
Após limpar esse processo, poder assumir sua fonte dévica.
Para os homens, uma forma de curar suas feridas causadas por mães feministas ou mesmo que trazem o conceito patriarcal da submissão da mulher, que neste momento de hoje pede, para homens serem sensivéis e mais amorosos, mas como não tem estrutura educacional se perde no fluir da vida.

Conheça os  métodos de terapias vibracionais que ofereço:

A terapia do renascimento: é um processo de despertar a cura através do padrão vibratório nato na pessoa advinda de outras vidas, guardada em seu registro akashico positivo, limpando as memórias negativas através da terapia da respiração induzida.

Realinhamento de chakra: O único processo que imanta adequadamente os mantras com invocação de cada Deusa e Deus do chakra para trazer o realinhamento espiritual.
É um processo único que se desenvolve apenas com 8 sessões de forma ritualistica.

Terapia ao feminino desperto: Um processo focado no saber feminino tanto para homens e mulheres que necessitam mudar este aspecto da mãe em seu interior.

Antes de qualquer coisa, venha bater um papo, descontraido e contar sua história e descobrimos juntos o que de fato é bom pro seu momento.

Venha experienciar!

 

Entre em Contato

Perguntas

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

%d blogueiros gostam disto: