Blog Celi Coutinho

Ser Mulher

SER MULHER

“Lembra mulher de quando teus pés descalços pisavam na terra molhada, depois da tempestade tão esperada.
Recorda quando teus ouvidos sabiam compreender as mensagens que o vento assoprava para o teu espírito.
Inspira fundo e sente o aroma daquela época onde viveste próxima aos frutos e às flores e tudo acontecia em tempo certo, sem apressamentos.
Compreende que teu corpo e tua alma obedeciam à voz da Grande Mãe, e tua vida fluía plena de sabedoria, pois tu representavas a Deusa, o Sagrado Feminino, e de ti resplandecia toda a generosidade.
Recorda que conhecias bem os mistérios da lua, tua irmã, e te guiavas por instintos e intuições, sonhavas com as respostas e cheia de confiança em teu coração guiava a tua vida e de tantos outros por caminhos seguros.
Tua natureza, sempre disposta a dar vida e dela cuidar, ligada por estreitos laços aos ritmos e ciclos do universo, sabia cantar e dançar, e assim espalhava alegria pelo norte, pelo sul, pelo leste e pelo oeste, sem perder o teu centro
Rosa dos ventos e dos tempos, hoje estás novamente aqui, mas não te esqueça jamais de continuar a cumprir o teu sagrado papel.
O Universo ainda carece do teu feminino…
Ah! Então canta e dança.
E o destino dos homens se cumprirá!”

De dois milênios para cá o Ser Mulher é sinônimo de dores devido as feridas existente em sua essência, e em sua alma, preconizado pelo o sistema do patriarcado devido a sua necessidade de manter o poder.
Porém, como todas sabem, há seis décadas atrás as mulheres escravizadas  se revoltaram e exigiram igualdade.
No entanto, essa igualdade ironicamente ocorreu literalmente, ou seja, tanto quanto machista como os homens e  atualmente se intitulando “feminista”, preconizando um  desequilíbrio na sua própria natureza que se estendeu aos seus descendentes e ao mundo. E palpável a magnitude dos desequilíbrios gerados e reverberado na natureza humana, em sua sexualidade, na sua espiritualidade devido esta perda de identidade que a mulheres tiveram neste dois mil anos, enfatizando um lado que ficou longe do belo estado do Ser Mulher.
Este é um  momento perfeito para  resgatar a capacidade feminina ancestral de conduzir as forças dévicas e a vida de forma plena.
Mulheres: mães,  terapeutas, moças,  avós, solteiras, meninas, devem escutar  o chamado!
O momento nos conduz para um reencontro de nossa essência.
O chamado do despertar grita para uma consciência do resgate milenar.
Reconhecer nossa capacidade de criação.
Ter na consciência que o mundo se movimenta através do útero feminino, do gestar, do amamentar, do criar e direcionar.
Mas, principalmente empoderar um legado que é a capacidade de SER DIVINA.
A CONFIANÇA, a espontaneidade, a verdade, a pureza a oportunidade de resgatar a base essencial de Ser Mulher, por meio de habilidades próprias do universo feminino.
Procurar está em grupo e ou em círculos que  proporciona melhorar a percepção de si mesma, alcançando melhores relacionamentos interpessoais.
É preciso ousar, agir diferente. Investir em si, num grupo, para que todos reaja como um todo.
Modificar a forma de PENSAR A VIDA para que possamos ter mais qualidade no viver.
Desenvolver a segurança no AGORA para criar um Mundo melhor.
Educar, criar os filhos, sentir com o coração o dia a dia.
Reverenciar adequadamente a força interna pelas manhãs.

Agradecer o dia pelas as noites.

Reverenciar o útero.

Reverenciar a mãe terra.

Aceitar quem você é.

Aceitar o compromisso de existir.

SER – ESTAR – DIVINA – PRESENTE – SÁBIA!

Confiar,
Acreditar,
Ser livre, ser luz, ser o Eu SOU!

Autora: Celi Coutinho

Faça um comentário

Open chat
%d bloggers like this: