Blog Celi Coutinho terapias holísticas

Despertar o Eu SOU -Shaktipat

 

É um método que leva ao feminino desperto.

O princípio de tudo…
A terapia Shaktipat é a ponte de conexão que se origina no principio filosofal e comportamental do tantra

O Tantra é o mais antigo sistema de conhecimento do universo que instrumentalizou a utilização da energia vital no reequilíbrio psico / emocional/energético, e consequentemente no plano espiritual.
Dentro da complexa fisiologia energética e da psicologia do Tantra, alguns conceitos como: os Gunas (as qualidades da natureza material: Sattwa – o equilíbrio, Rajas – o movimento, e Tamas – a inércia), os Chakras (centros de energia), os mahabhutas (elementos da natureza), a Kundalini (a energia primordial), os shariras e os koshas (os corpos e os planos da existência), os nadis (os caminhos da energia), os prana vayus (as subdivisões funcionais da energia) e os Doshas (padrões que expressam como os elementos da natureza se movimentam em nossa fisiologia psicofísica: Vata – espaço e ar, Pitta – fogo e água e Kapha – água e terra).
O método principal utilizado no processo do Shaktipat são as vivências (meditação dinâmica healing) individual e personalizada, como fonte principal para empoderar-se da força e beber dentro da fonte de seu SER DIVINA.
Necessário saber que cada pessoa tem uma regência em particular, que pode estar ou não equilibrado, e em desequilíbrio dará somatização física, emocional, mas principalmente espiritual como já mencionado.
O Sushumna Nadi abarca a energia de Kundaliní, sendo o canal do fluxo do universo em forma do Fogo Sagrado. E os sistemas de corpos energéticos emocionais e mental contendo os granthis (nós psíquicos) que se apresentam manifestando os desequilíbrios quando existem em forma de: boicotes, limitações, sabotagens, apegos, falsas crenças, que devem ser transmutados e resignificados ao longo da jornada para a consciência da Unidade –Fonte de energia – feminina – sagrado – SER DIVINA de cada um e em condições de transmitir ao mundo em sua volta.
O corpo físico em seus componentes fracionados, ou seja, cabeça, corpo e membro se desequilibram devido um efeito produzido das emoções e da mente, criando nuvem ao Corpo Espiritual de se manifestar em sua plena sabedoria.
Já é sabido como se inicia a vida humana, o que é desconhecido é que ela começa com a concepção no ponto central – região pélvica e que energeticamente pode ser denominado de Maha (grande) yantra. É um símbolo para representar, um plano que não é palpável com as mãos e nem com olhos e sim com a sensação, porque tudo têm várias dimensões. Exceto a energia do plano espiritual no sentido de mônada (essência divina).
No ato da concepção, é deixada a mônada – essência divina, mas, porém com todo o registro dentro de um sistema denominado akasha (memórias das vidas), sem dimensões para aterrissar no útero materno, onde, entretanto ainda se está bem próximos da unidade (mônada). A criança é una com a mãe.  Esta unidade, entretanto, abandona o centro passo a passo, dirigindo-se para a periferia do yantra-forma (corpo físico – matéria densa).
Na puberdade termina então a criança, que deixa de ser neutra e passa a ser adolescente, mas ainda não sabedora de sua identidade, seja “mulher” ou “o homem”.
A época do meio da vida, fase adulta é considerada a possibilidade ou probabilidade de expansão física através da força das energias externas em favor da evolução da vida espiritual, ou seja, a grande expansão de consciência.
Olhando deste prisma a juventude dominante deve ser eterna. Ocorrendo um amadurecimento e não exatamente um envelhecimento e ou a insanidade.
O ser humano certamente veio para passar por um aprendizado no plano terreno para galgar sabedoria. A casca (corpo) enrugará, mas, não necessariamente perderá lucidez e sim ganhará consciência e desgrudará da casca para voltar com a missão cumprida de forma plena.
O Fato que nas mulheres de hoje em geral ainda não ocorre este processo de sabedoria, e quando chegam na fase da menopausa e maturidade se sentem inútil, ainda são muitas assim, perto do pouco número de mulheres que chegam produzindo, mentalmente, emocionalmente e principalmente espiritualmente.
Não só as mulheres, o homem também na fase da andropausa passa pelo o mesmo processo de se sentir inútil, em equilíbrio poderá e deverá continuar fluindo dentro da maturidade na figura de jovem e no processo do grande acesso a sabedoria.
Este caminho é considerado Dharma – Lei de vida e escolha de caminho pessoal.

 Como a Alma usa a Lei da Atração?

            O Ego é o verdadeiro imperador e protetor quando acontece de existir a razão de proteger caso você se encontre em situações “prejudiciais” essa reação acontece,  a força natural da Lei da atração devido a energia negativa que está guardada dentro do seu DNA que aflora de dentro do subconsciente, levando a reconhecer a energia que está guardada liberando a energia escondida e suprimida. O ego usa a lei da atração (semelhante atrai semelhante), para magnetizar as pessoas e situações para que seja acionada a oportunidade para liberar.
É por isso, que como pessoa ferida, você atrairá também pessoas feridas.
A sua própria essência provocará a oportunidade de clarear e liberar esta energia guardada.
E quando você liberta-se de forma consciente a memória celular danosa, vai eliminando e trocando. O trabalho do seu ego é muito mais fácil, porque não há energia prejudicial para ser liberada – você não estará mais atraindo situações dolorosas.
E quando você se mover para uma situação nova, e o seu ego ao fazer o escaneamento não encontrará mais as memórias dolorosas. Então, o seu ego lhe permitirá mover-se para novas experiências, sem limitações.
“Cada indivíduo terá experiências diferentes, porque o passado é diferente de pessoa para pessoa”. Apesar de tudo isso, bem no início, em algum lugar, há uma sensação de paz e de felicidade. Se a pessoa conseguir se relacionar com ela e trabalhar para aumentá-la, a felicidade irá se tornar cada vez maior, até que a pessoa atinja o estágio final e, depois, será uma parte permanente do seu ser. Esse estado interior de paz e de felicidade é idêntico para todas as pessoas.
Não importa o que a pessoa esteja fazendo; se há alguma evolução espiritual, alguma expansão de consciência, é a kundaliní que está trabalhando no interior da pessoa.
Portanto, KUNDALINI é a energia vital básica que reside no centro básico (muladhara). – o fogo serpentino. Lá está a concentração energética que supre o corpo humano através dos nadis – Ida e Pingala. Esta energia nada mais é que o princípio vital. Esta energia quando desenvolvida ela se manifesta através dos Chakras produzindo poderes através da alquimia agregada nas forças dos demais Tatwas (elementos): Api – sentimento – terra – Pritivi – matéria – Vayu – Ar – Conhecimento e Akasha – Espírito Divino e depois retornando a sua origem na Terra. Proporcionando o grande mistério do que está em cima é o mesmo que está em baixo.

Despertando os Arquétipos de Iniciação Sagrado Feminino
É invocado energias arquetípicas como portais para particulares iniciações, bem como para trazer a “cura” do que ainda está na sombra. A sombra detém alguns dos nossos maiores recursos inexplorada. Os arquétipos são ativados pela energia Kundaliní. Quando dizemos “sim” para uma jornada de iniciação, é quando automaticamente as cincos energias arquetípicas femininas serão ativadas, os véus que cobrem o mistério de quem realmente se dissolve, e a busca pela  a   verdadeira face é revelado. É o momento que o equilíbrio consciente se inicia trazendo poderes para “o despertar” do aspecto da Consciência do SER DIVINO.
No natural da vida, mesmo sem a consciência, vivemos as fases de forma contínua espiralada através do círculo da vida em diferentes graus a cada dia.
Para tomar a força do trabalho de iniciação Sagrado Feminino é necessário coragem e vontade. Coragem significa “com o coração”, não necessariamente sem medo. Podemos estar morrendo de medo e ter uma grande coragem. Disposição não exige que nós gostemos, simplesmente requer que estejamos abertos e disponíveis para atender o chamado.

 Foco da terapia Shaktipat.

            Portanto, a terapia Shaktipati – pat = raiz ou suporte – Shakti = poder – ou seja, significa o suporte do poder desperto. Têm como foco promover o restabelecimento e a reconexão em cada pessoa a sua potencialidade feminina em sua natureza do Ser em formato arquetípico da verdadeira essência denominada Shakti. Em sua essência, esta potencialidade lhe ensinará acessar na prática o conhecimento já existente em seu âmago, quase nada hoje em dia são faladas de forma estrutural de mudança do sistema interno de cada pessoa em relação a alcançar o eixo do sagrado feminino, quase todas as modalidades existentes são fontes contemplativas, como se fosse algo ainda externo e distante.
No Shaktipat é a terapia que promove o ato de fazer com que se perca o eixo do racional-masculino para fluir no sentir- vivenciar = feminino que favorece à este eixo, com primorosidade,  permitido sem a fala,  estar num fluxo meditativo ao sagrado feminino o qual significa despertar a sua dança natural sem nenhum subterfúgio em toda a sua sacralidade. Nos dias de hoje a meditação ao sagrado feminino de forma dinâmica é algo moderno que facilita a conexão destes saberes para o mundo prático sem racionalizar favorecendo para um mundo do sentir e esse processo não há como resgatar se não for dentro de um processo meditativo. Não há uma abordagem correta e sim intuitiva e de religar com a conexão existente no corpo áurico ou registro akhashico de cada SER , que se propõem em reconhecer esta fonte dentro de si.
Em minhas experiências, a vivência dinâmica healing mostra facilmente esse passo de galgar para o inconsciente, pois, o fato de estar no ato de ouvir a música e deixar a mente não interagir, através da própria composição musical, é o processo que favorece o desprendimento da energia de cada letra, vitris (letras) dos chakras que se desprendam e se tornam uma melodia interior, do próprio ser interno, fazendo os chacras girarem naturalmente, e o fluxo kundalínico é acionado automaticamente e certamente o primeiro momento  será entrar num fluxo de limpeza da mente. Que podem em primeiro instantes representar sentir dores, medos, seria a  mente interagindo da forma do bloqueio existente que se manifesta neste momento, mas o ato de estar no fluxo de ouvir a música om o corpo, aquilo que é a dificuldade passa então, entrar em sintonia e a entrega irá acontecendo naturalmente.
O método é dinâmico, é expressivo, é coração. Portanto, facilita a entrega à energia do ‘poder’ (Shakti). A influência das músicas, em sua melodia elevará as vibrações, permitindo conectar ao eixo feminino essencial neste formato de meditação para serem conhecidas e automaticamente resignificadas. Nos vários outros métodos poderão haver dispersão e enganos mental, neste não, a mente não poderá mais interagir.
A terapia ao feminino desperto é um processo que ocorre num formato vivencial meditativo que possibilita harmonização da energia vital e reorientação da energia essencial para o equilíbrio físico-energético e psico-mental do conduzido.
Todas as Técnicas de respiração, concentração, meditação, relaxamento, flexibilidade, alinhamento e fortalecimento para o equilíbrio físico, emocional e mental, consciência corporal e harmonização bio-psíquico  está integrado neste conjunto meditativo fazendo as integrações das etapas físico-energéticas – exercícios, movimentos e posturas de movimento expressivo, autêntico, contínua à dança criativa.            Eu trago um método, um formato que proporciona este contato com o eixo feminino sagrado.
Sim, estou afirmando que de fato é assim que ocorre.
A terapia Shaktipat leva à conexão ao sagrado feminino através do eixo da ‘energia’ da mãe terra, reconectando ao fluxo cósmico para  a força interior, o desenvolvimento mental e o crescimento espiritual, mas particularmente para o auto despertar ou autoconsciência.
Tem por objetivo a reconexão e reintegração da SER à sua potência Essencial e Sagrada, com inúmeros benefícios bio psíquicos e mentais, tais como: controle do stress, rejuvenescimento, saúde física (equilíbrio hormonal, digestivo, ósseo), psíquica ( estresse, TPM, etc.,) – equilíbrio físico-emocional-mental; estímulo da autoestima, autoconfiança, força de vontade, determinação, concentração, realização de metas, criatividade (desenvolvimento de soluções), ampliação da percepção e consciência corporal, reintegração e harmonização e transformação da energia para o despertar da consciência.

REVELANDO A ESSÊNCIA FEMININA ou SAGRADO FEMININO – a SHAKTI – ATRAVÉS DA DANÇA MEDITATIVA

Faça um comentário

Back To Top
Open chat
%d bloggers like this: